Vocês verão que colocarei diversos motivos para ter mudado para o Linux no decorrer dos textos que colocarei aqui no blog, isso porque acho importante publicizar esse Sistema Operacional que tem me ajudado e muito a melhorar minha produtividade. É importante saber que o Linux não é um monstro de sete cabeças, não é feio e tem programas tão bons quanto os outros de outros sistemas operacionais.

1 – Gratuidade

Já pensou em ter um Sistema Operacional do seu jeito e não pagar mais por isso ou até mesmo não pagar nada? Esse é o Linux! Entenda, o Linux é como uma base onde diversas casas podem ser construídas, então não há uma única interface.

Se pegarmos o Ubuntu como exemplo, ele é diferente do Fedora, que é diferente do OpenSuse, que é diferente do ElementaryOS.

Essa diferença é primordial para os usuários, pois alguns vieram de computadores Windows outros de MacOS e há formas diferentes de se usar o computador.

Voltando ao tópico, todas essas distribuições, como são chamados os diversos Sistemas construídos sobre o Kernel Linux, são todas gratuitas e fáceis de instalar. Se você não acredita que tem tanta diferença assim, saiba que o seu celular Android é baseado no Linux.

2 – Open Source

Open Source, já ouviu falar nisso? Não, pois bem, quando algo é Open Source, quer dizer que é livre para adaptações em diversos níveis e essas adaptações podem ser feitas por todos os usuários e não necessariamente a empresa que criou o Software vai ter que mudar o dela para se igualar ao novo, mas ela pode se assim entender.

Quando o Software é livre, você permite que pessoas que saibam trabalhar em cima do Software possa levá-lo a outros níveis, como por exemplo o caso do ZapZap no Brasil, que é baseado no código do Telegram.

E porque isso é importante? Porque faz com que todos cuidem do código e encontrem bugs, erros e situações danosas de formas mais rápidas. O Linux é frequentemente atualizado, pois diversas pessoas contribuem com a melhoria do Kernel e das distribuições.

3 – Segurança

O mito que não é tão mito, Linux não pega vírus? Pode pegar, mas a chance é bem menor que a de Sistemas como o Windows, primeiro pela pulverização de Distribuições, muitas delas tem empacotadores (instaladores) diferentes, o que já é um obstáculo, segundo porque a comunidade preza por um sistema imune e frequentemente lança atualizações onde as brechas que poderiam ser usadas para os vírus são fechadas e terceiro que todas as atividades de instalação requerem sua senha.

Não obstante estes obstáculos para a infecção de um computador com Linux, temos também a ajuda de sites que são dedicados a facilitar a vida do utilizador Linux, como por exemplo no Brasil o Blog Diolinux e o SempreUpdate, sites que dão dicas de programas, de distribuições dentre outras.

4 – Comunidade Linux

Diversas pessoas no mundo usam Linux, ainda estamos longe de ser o Sistema Operacional mais usado, mas é um dos mais usados e isso quer dizer que várias pessoas estão dispostas a ajudar-nos com o uso, a responder nossas dúvidas, a melhorar o sistema dentre outros fatores.

Todas as distribuições testadas, tinham Fóruns de usuários que respondiam a diversas dúvidas, principalmente aquelas que podem nos dar certo desânimo em tentar algo novo.

E quanto maior a comunidade mais pessoas já erraram, mais pessoas já tiveram a mesma dúvida que você, mais informações sobre determinados assuntos foram criadas e nisso quem sai ganhando é o usuário que muito dificilmente vai ser deixado na mão quando buscar a solução de um problema, mas e se não achar a resposta? Simples, pergunte que logo você terá a resposta para o seu problema.

5 – Programas

Ah, mas e os programas? Como faço, sou acostumado com Microsoft Office, Photoshop e outros, vou poder usá-los? Sim, você até pode usá-los dentro do Linux, mas melhor que isso você terá acesso a programas similares que realizam as mesmas tarefas e com a gratuidade que o Linux oferece.

Há programas proprietários, que são os pagos, mas são minoria e em compensação aos programas pagos sempre tem algum programa livre que realiza função similar.

Para o Microsoft Office temos o Libre Office, para o Photoshop temos o Gimp e assim por diante, como já citado acima os blogs especializados acabam gerando conteúdos onde facilitam a migração entre um sistema e outros e quais os programas relativos aos que se usam no Windows.

Há muito mais a falar do Linux, mas vamos explorando os temas aos poucos. Vamos focar e produzir mais. Comente, deixe sua sugestão, reclamação e outros aqui!